Humor negro parte 2

Aqui a continuação =D

Veatch, em Uma teoria do Humor, define humor como um estado psicológico que proporciona o riso. De acordo com a Análise do Comportamento, o humor está diretamente ligado ao comportamento verbal, tendo a audiência como fonte de reforço, sendo estímulo discriminativo. O riso é um dos reforçadores que aumenta a probabilidade da emissão do comportamento de fazer uma piada; uma pessoa irá fazer uma piada se, naquele meio, ela foi reforçada com o riso da audiência.

Quando a ausência de uma consequência prática e quando nãoa violação de princípios morais enraizados ou crenças socialmente construídas, o humor proporciona o divertimento. Deve haver a percepção, por parte do ouvinte, de que trata-se de uma brincadeira, caso contrário, não haverá o entendimento ou gerará a sensação de ofensa e ameaça ao invés do divertimento.O não conhecimento do contexto também pode diminuir a probabilidade da emissão do comportamento de rir.

No divertimento também está presente o componente de imitação, onde as pessoas são condicionadas a achar graça em situações onde outras também acham, e emitem o comportamento de rir. O riso é, assim, reforçado diferencialmente pela comunidade na presença de diferentes tipos de piadas feitas.

Em uma entrevista, realizada pela equipe, com o analista comportamental Alessandro Vieira dos Reis (do blog Olhar Beheca) ele relata que “O Skinner fala de humor em Verbal Behavior. Ele comenta como todoo humor vem de duplas interpretações, de verbalizações feitas com duplo sentido, ou triplo, ou seja, o texto humorístico sempre é denso de significados. A maior parte do crescente fenômeno de Stand-Up Comedy é sobre ele, bem como séries como Family Guy e Os Simpsons.[…]Humor negro é tocar  em assuntos malditos, assuntos que foram banidos das conversas  comuns.[…]É uma forma de tocar em um assunto que as pessoas param de falar. Humor é quando é espirituoso, quando tem duplo  sentido e você tem que pensar alguma coisa pra chegar ao Xda piada.”

Alessandro diz ainda que:

Argumenta-se que fazer humor é aprendido e possivelmente um comportamento adaptativo, à medida que um evento pode ser menos estressante se levado com um senso de humor. […] Fazer piadas é um comportamento frequente na cultura brasileira. Comumente diz-se que, mesmo diante de uma tragédia coletiva, o brasileiro faz, no dia seguinte, uma piada sobre o ocorrido. […] Há muitas razões pelas quais homens riem […]: reflexos emocionais, como cócegas e, no campo verbal, porque há surpresa, embaraço, forma atípica (dialetos, sotaques) e até a vulgarização ou grosseria (“piada suja” ¹). […] O bom humor é um tipo de comportamento que pode ter várias funções, mas uma que se destaca é, através da irreverência, de eliminar o aspecto aversivo de temas delicados, deixando no lugar o riso e a descontração. (O bom humor) é uma forma de lidar com os problemas aparentemente negando-os, mas, na verdade, rindo deles para que assim esses estímulos percam sua força aversiva. Fazer rir, portanto, é mais que uma mera resposta motora: é uma estratégia problemas reais. Ridicularizar um problema, isto é, expor o autêntico ridículo dele, é uma forma de enfraquecê-lo. Mais tranquilos diante dos problemas (depois de rir deles), nossas chances de resolvê-los aumentam.”cultural para lidar com problemas reais. Ridicularizar um problema, isto é, expor o autêntico ridículo dele, é uma forma de enfraquecê-lo. Mais tranquilos diante dos problemas (depois de rir deles), nossas chances de resolvê-los aumentam.”

Fim da parte II =D

Advertisements
Tagged ,

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: